UM MOVIMENTO EM MARCHA

A CIDADANIA NA RUA!

Assine a nossa NEWSLETTER.






  /  Comunicados   /  O orgulho existe, resiste e sai à rua!
marcha-lgbti-viseu-2021-banner-1

O orgulho existe, resiste e sai à rua!

A Plataforma Já Marchavas informa que a 4.ª Marcha de Viseu pelos Direitos LGBTQIA+, sob o mote “O orgulho existe, resiste e sai à rua!”, realiza-se no próximo dia 10 de outubro de 2021, com início pelas 15h no Jardim sensorial de Santo António.

Continuamos a ter fortes e diversas razões para sair à rua, para erguer a voz e marchar pela interseccionalidade dos Direitos Humanos. A LGBTQIA+fobia continua a matar em todo o mundo.

Não podemos continuar indiferentes a estes casos violentos e continuar achar que já se conquistou tudo, de que somos totalmente livres, de que a luta está concluída, quando ao nosso lado vemos que ainda está tudo por fazer.

A luta pelos direitos LGBTQIA+ é internacional e devemos continuar vigilantes a todos os ataques e opressões que ponham em causa a liberdade, o direito a ser quem somos, o direito amarmos quem quisermos.

Em Viseu e em todo o mundo: a resposta será o amor e a tolerância, nunca o ódio e a opressão!

Dia 10 de outubro junta-te a este movimento de cidadania e vem marchar em Viseu.

🏳️‍🌈 O ORGULHO EXISTE, RESISTE E SAI À RUA!

SUBSCREVE O MANIFESTO AQUI: https://forms.gle/oVhUjYHQL3c5TLwP7


Dizemos BASTA!

BASTA! às micro-agressões e comentários depreciativos à identidade e integridade física de cada pessoa.

BASTA! de comportamentos discriminatórios e tratamento desigual no acesso à saúde, educação, família, trabalho, desporto, lazer, etc.

BASTA! de tortura psicológica que leva a altas taxas de suicídio entre as pessoas LGBTI+.

BASTA! de menosprezo por parte de autoridades locais/municipais na obrigação de assinalar o repúdio e condenação dos atentados à liberdade e dignidade pessoal como aquela que recentemente assistimos em Viseu por parte de militantes do CHEGA.

BASTA! de neutralidade quando falamos de Direitos Humanos.


Reivindicamos!

A criação de condições de igualdade plenas.

A execução de um plano Plano Municipal LGBTI+.

A criação de redes de apoio, de diálogo e acompanhamento de pessoas que sofram dos diferentes tipos de violência LGBTI+fóbica.

A implementação de ferramentas de ensino e aprendizagem de temas de saúde sexual e diversidade de género a profissionais da saúde, do ensino, da justiça e segurança civil, de forma a não alimentarem comportamentos discriminatórios e de injustiça social.